Iniciativa Verde Árvore

1.604.487 árvores plantadas até agora!

Buscar

GLOSSÁRIO

Áreas de Preservação Permanente (APPs)

São as chamadas áreas protegidas, localizadas em zonas rurais ou urbanas, cobertas ou não por vegetação nativa com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade. Elas também facilitam o fluxo gênico (evita que os parentes cruzem entre si) de fauna e de flora, protegem o solo e asseguram o bem-estar das populações humanas. Estas áreas são definidas pela sua posição como, por exemplo, em locais perto da água ou dos morros. Neste tipo de reserva são permitidas poucas atividades que devem ser de utilidade pública, interesse social ou de baixo impacto (Lei nº 12.651/12).

Aquecimento global

Aumento da temperatura média dos oceanos e do ar próximo à superfície do planeta. O fenômeno é resultante das crescentes concentrações dos chamados gases de efeito estufa (GEE), provocadas pelas atividades humanas. Entre elas, destaque para a queima de combustíveis fósseis e ao desmatamento.

Bacias hidrográficas

São áreas entre os divisores de águas, pontos altos dos terrenos que limitam por onde a água vai escorrer, que drenam para um único lugar. Podem ser agrupadas em diversos níveis ou tamanhos. Em escala nacional, há 12 bacias formando as Regiões Hidrográficas. Dentro dos estados, as bacias são organizadas em grupos chamados Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos (UGRH).

Biodiversidade

É a diversidade de formas de vida na Terra, a riqueza de espécies. Ela compreende todos os seres vivos que fazem parte de um ecossistema, desde as plantas, os animais, até os microrganismos.

Biomas

Além da divisão política (como Estados e Munícipios) existem outras formas de dividir o território brasileiro. Esta maneira de demarcar o país considera os recursos naturais chamados biomas, usados para a definição de leis e políticas ambientais. Biomas são os tipos de vegetação em escala regional: Amazônia, Caatinga, Pantanal, Pampa, Pantanal, Cerrado Mata Atlântica e Zona Costeira. Alguns Biomas tem legislação própria sobre seu uso e proteção. A Mata Atlântica, por exemplo, tem uma lei nacional e o Cerrado uma lei do estado de São Paulo.

Biomassa

Matéria orgânica renovável, não fóssil, produzida e acumulada pelas diferentes formas de vida de um ecossistema (vegetais, animais, micro-organismos, etc).

Biosfera

É o conjunto de todos os ecossistemas da Terra e, por definição, engloba todas as formas de vida no planeta. Seu limite inferior é a profundeza dos oceanos e o superior é a camada de ozônio.

Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Criado pela Lei nº 12.651, de 2012, no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente (SINIMA), o CAR é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, que tem o objetivo de integrar todas as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanente (APPs), das áreas de Reserva Legal, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, das Áreas de Uso Restrito e das áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país. O CAR será fundamental como base de dados estratégica para o controle, monitoramento e combate ao desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil, bem como para planejamento ambiental e econômico dos imóveis rurais.

Cerrado

É a vegetação formada por gramíneas, arbustos e árvores esparsas, definida pelas condições de solo e de clima mais seco. Sua vegetação pode variar de campo Cerrado, mais aberto, até o cerradão, com mais árvores. Nas faixas perto dos rios podem aparecer matas ciliares, também chamadas de matas galerias.

CH4 (metano)

Composto químico constituído por uma molécula de carbono (C) e quatro moléculas de hidrogênio (H). É considerado um dos principais gases do efeito estufa, devido a seu alto potencial de aquecimento global, 21 vezes maior do que o do dióxido de carbono. As principais fontes de emissão do metano são a decomposição de resíduos orgânicos em aterros sanitários, a pecuária, a produção e distribuição de gás natural, produção de carvão e queima incompleta de combustíveis.

CO2 (dióxido de carbono ou gás carbônico)

Composto químico constituído de dois átomos de oxigênio (O) e um de carbono (C). É o principal gás de efeito estufa, devido à sua alta concentração. A maior fonte antrópica de emissão de CO2 para a atmosfera é a queima de combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão mineral. Sua concentração na atmosfera tem aumentado a uma taxa de 0,5% ao ano e, atualmente, se encontra 30% acima dos níveis de épocas pré-industriais.

CO2e (CO2 equivalente)

Medida que permite calcular em uma mesma base a emissão de todos os gases de efeito estufa baseado no potencial de aquecimento global de cada um. O CO2e é resultado da multiplicação das toneladas emitidas do gás do efeito estufa que se deseja converter em CO2e pelo seu potencial de aquecimento global. Por exemplo, o potencial de aquecimento global do metano é 21. Isto significa que a emissão de uma tonelada de metano é equivalente a 21 toneladas de CO2.

Código Florestal Brasileiro

Atualizado em 2012, a Lei nº 12.651/12 institui as regras gerais sobre onde e de que forma o território brasileiro pode ser explorado ao determinar as áreas de vegetação nativa que devem ser preservadas e quais regiões são legalmente autorizadas a receber os diferentes tipos de produção rural. O Código determina também que as propriedades rurais devem preservar 80% das áreas de florestas da Amazônia Legal, 35% no Cerrado, 20% em campos gerais, e 20% nos demais biomas brasileiros. Para o cumprimento da lei foram utilizados dois tipos de áreas de preservação: a Reserva Legal e a Área de Preservação Permanente (APP).

Compensação de emissões de Gases do Efeito Estufa

Sistema de compensação em que se planta um determinado número de árvores que seja capaz de absorver, ao longo de seu crescimento, a mesma quantidade de CO2 que foi emitida por um conjunto de atividades humanas. A emissão de GEE por essas atividades é calculada em CO2 equivalente (CO2e).

COP-15

15ª Conferência das Partes da Convenção do Clima, encontro promovido pelas Organização das Nações Unidas (ONU) no mês de dezembro de 2009, em Copenhague, na Dinamarca. O evento buscou um novo acordo para o enfrentamento das mudanças climáticas, mas não obteve sucesso.

Corredores ecológicos

São as ligações, como se fossem pontes, entre os remanescentes de vegetação como matas ciliares ou até árvores isoladas. É importante que haja diversidade genética para as plantas e aos animais. Essas ligações permitem que os animais de diferentes famílias se encontrem, permitindo a continuidade de suas populações. Para a maioria das plantas, é relevante que os animais polinizadores e os que espalham as sementes também possam circular.

Cultivo intercalar

O plantio em consórcio com espécies agrícolas de cultivos anuais, por até cinco anos entre as árvores nativas, pode ser feito para facilitar a manutenção e diminuir os custos. Neste caso, o plantio não pode prejudicar a recuperação da floresta e deve ser apresentado um projeto ao órgão ambiental. O plantio consorciado de espécies nativas produtoras de frutos, sementes, castanhas e outros produtos vegetais também pode ser feito em áreas em recomposição para, depois, se realizar a extração sustentável não madeireira.

DAP

Uma maneira de medir a largura dos troncos das árvores (DAP) verificando o diâmetro médio dos troncos à altura do peito de uma pessoa, ou seja, a 1,30 m do chão.

Desenvolvimento Sustentável

É aquele que atende as necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras satisfazerem as suas. Está embasado na aliança entre o desenvolvimento economicamente viável e os processos ecologicamente corretos e socialmente justos. Inclui, além de atividades que não degradem ou esgotem os recursos naturais do planeta, ideais como o comércio justo e a economia solidária.

Desflorestamento

Desmatamento, processo de desaparecimento de massas florestais causado principalmente pela atividade humana. Entre as principais causas estão a derrubada de árvores para a obtenção de madeira e o uso do solo para cultivos agrícolas. No Brasil, 70% das emissões de gases de efeito estufa são atribuídas ao desmatamento e mudanças no uso do solo. Isso ocorre porque os vegetais, após serem cortados, entram em processo de decomposição e liberam todo o carbono que havia sido armazenado durante a fase de crescimento por meio da fotossíntese.

Efeito de borda

Nas bordas das matas existe uma exposição maior a fatores que perturbam a qualidade da mata como o vento, o sol forte, o fogo e a entrada de animais domésticos. O excesso de cipós, trepadeiras e capins (plantas que competem com as nativas) é uma indicação de que há efeito de borda. Quanto menor e mais isolado for o fragmento de mata, mais frágil ele fica.

Efeito estufa

É um fenômeno natural de aquecimento térmico da Terra essencial para a manutenção da vida em condições ideais de sobrevivência. Caso ele não existisse, o planeta seria muito frio impedindo a existência de praticamente todas as espécies conhecidas, inclusive dos seres humanos. O efeito estufa garante que raios solares sejam em parte absorvidos e transformados em calor. Isso ocorre por causa da camada de gases localizada na estratosfera terrestre, os gases estufa, que agem como isolantes por absorver uma parte da energia irradiada e são capazes de reter o calor do sol na atmosfera, formando uma espécie de cobertor em torno do planeta, impedindo que ele escape de volta para o espaço.

Espécie nativa

Ou silvestre é a encontrada de maneira natural em um determinado bioma ou região.

Espécies exóticas invasoras

São chamadas as espécies de plantas e de animais originários de outros lugares e que se espalham e se reproduzem, ameaçando os ecossistemas e as espécies de determinado lugar. Dependendo da situação de proliferação e de prejuízo causada pelas espécies exóticas, podem ser considerados invasores: alguns tipos de capins, algumas espécies de peixes e de ratos, o caramujo-africano, o Pinus, a lebre europeia.

Gases de Efeito Estufa (GEEs)

São os gases que compõem a camada que envolve o planeta. Os principais são o nitrogênio (N2) e o oxigênio (O2) que, juntos, compõem cerca de 99% da atmosfera. Alguns outros gases encontram-se presentes em pequenas quantidades, incluindo os conhecidos como gases de efeito estufa (GEE). Entre estes gases, estão o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4), o óxido nitroso (N2O), perfluocarbonetos (PFC's ) e, também, o vapor de água.

Mata Atlântica

Engloba as florestas e outras formações associadas como o campo de altitude. Dentro do estado de São Paulo, as formações da Mata Atlântica mais comuns são: floresta ombrófila densa, ocorre no Litoral e na Serra do Mar, em condições de maior umidade; floresta ombrófila mista, a mata de araucárias; floresta estacional, as matas do interior, onde há uma estação mais seca; manguezais, vegetações de restingas restinga e de campos de altitude.

Mata Ciliar

Faixa de vegetação que ocupa as margens de rios, lagos e represas. É conhecida popularmente como mata beiradeira, mata de beira-rio e mata de galeria. As matas ciliares criam "corredores verdes" por onde as espécies animais podem circular, colaborando para a dispersão e consequente variabilidade genética destas. Por isso, a ausência da mata ciliar é de grande prejuízo para a biodiversidade local e regional. A mata ciliar também ajuda a reduzir a erosão: funciona como um obstáculo para a água das chuvas que carregam sedimentos, diminuindo o acúmulo deles nos rios e evitando o seu assoreamento.

Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL)

É um mecanismo previsto no Protocolo de Kyoto, criado para reduzir as emissões de gases responsáveis pelo aquecimento global. O MDL torna possível, também, o desenvolvimento sustentável em países emergentes, pois os países industrializados que não cumprirem suas metas de redução de lançamento de poluentes na atmosfera podem compensar o problema financiando projetos de redução de poluição nesses outros países. Segundo estimativas do Banco Mundial, esse mercado pode movimentar cerca de US$ 1 bilhão por ano.

Módulo Fiscal

É uma unidade de medida agrária, expressa em hectares (ha), variável para cada município. O Módulo Fiscal considera os principais tipos de atividades, a renda obtida e o conceito de propriedade familiar. No estado de São Paulo, o Módulo Fiscal (MF) varia de cinco hectares (Região Metropolitana da capital) até 40 hectares em alguns locais do Vale do Paraíba.

Microbacias hidrográficas

São as bacias menores, englobando um pequeno rio ou um córrego. Podem estar dentro de um só imóvel ou reunir algumas propriedades. A microbacia é um espaço importante para um bom planejamento do uso do solo. A conservação do solo e da água e o controle da poluição são mais adequados quando se considera toda a microbacia.

Mitigação

Ações para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e, consequentemente, as mudanças climáticas. Por exemplo: compensação de emissões de CO2 por meio da recomposição de matas nativas; uso mais eficiente de combustíveis fósseis em processos industriais ou na geração de energia elétrica; substituição do uso de combustíveis fósseis por fontes de energia renováveis, como a solar ou eólica; aproveitamento do isolamento de edifícios para diminuir o consumo energético; expansão de florestas a fim de remover grandes quantidades de dióxido de carbono da atmosfera.

N2O (óxido nitroso)

Composto químico constituído de dois átomos de nitrogênio (N) e um de oxigênio (O). Seu potencial de aquecimento global é 310. O uso de fertilizantes nitrogenados, a queima incompleta de combustíveis e a produção de ácido nítrico estão entre suas principais fontes de emissão.

Paisagem

Um jeito de unir os vários componentes da natureza, como a vegetação e as águas. Ela vai além de um lugar bonito, considera a integração dos vários elementos para um adequado manejo dos recursos naturais.

Pagamentos por serviços ambientais (PSA)

Uma das formas de pagamento em dinheiro ou em serviços aos agricultores que protegem ou recuperam os recursos naturais. Os serviços ambientais são os solos saudáveis, a água limpa, o ar puro, a biodiversidade, uma bela paisagem, a fixação dos gases que provocam o efeito estufa (colaborando para a regulação do clima) e a valorização cultural e do conhecimento tradicional ecossistêmico. Os serviços ambientais de uma determinada região podem atingir o agricultor e sua família, os vizinhos, as cidades e o planeta em geral. Devido a esse impacto mundial, tem sido reconhecida a importância daqueles que preservam a natureza.

Potencial de Aquecimento Global

Índice que determina a capacidade de um gás de efeito estufa de aquecer o planeta Terra. Cada um dos gases de efeito estufa possui seu potencial de aquecimento global determinado, que tem como medida de referência o dióxido de carbono. Por exemplo: o potencial de aquecimento global do metano é 21, o que significa que 1 tonelada de metano contribui 21 vezes mais para o aquecimento global que 1 tonelada de CO2.

Protocolo de Kyoto

É um tratado internacional com compromissos de redução da emissão dos gases que agravam o efeito estufa considerados, de acordo com a maioria das investigações científicas, como causa da ação humana do aquecimento global. Discutido e negociado na cidade de Quioto no Japão em 1997 e ratificado em 1999. Para ele entrar em vigor, 55% dos países, que juntos produzem 55% das emissões, tiveram que o ratificar. Por isso, passou a valer apenas em fevereiro de 2005.

Recomposição florestal

A legislação florestal considera recomposição o processo de recuperar a vegetação degradada ou alterada para que ela possa cumprir suas funções ambientais, mesmo que ela não fique em condição igual a do ecossistema original.

Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD)

Segundo o conceito adotado pela Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), o REDD contempla formas de prover incentivos positivos aos países em desenvolvimento que tomarem uma ou mais das seguintes ações para a mitigação das mudanças climáticas: redução das emissões derivadas de desmatamento e degradação das florestas; aumento das reservas florestais de carbono; gestão sustentável das florestas; conservação florestal.

Reserva Legal

Esta área de uma propriedade ou posse rural deve assegurar o uso econômico de modo sustentável dos recursos naturais, auxiliar a conservação e a reabilitação dos processos ecológicos e promover a conservação da biodiversidade, bem como o abrigo e a proteção de fauna silvestre e da flora nativa. Ela é definida como uma parte do imóvel. No caso do estado de São Paulo, deve abranger 20 % da área. Na Reserva Legal são permitidos alguns usos econômicos.

Recomposição florestal

Tem como principal objetivo reconstituir áreas anteriormente degradadas e garantir a volta da biodiversidade e todos os processos a ela associados como ciclo da água e do carbono, recuperação de nutrientes do solo e a consequente contribuição para o equilíbrio e preservação do ecossistema. A recomposição vegetal com espécies nativas procura restituir a vegetação anterior, em sua estrutura e composição, resguardando a diversidade de espécies encontradas originalmente no bioma.

Sequestro de Carbono

Captura de carbono da atmosfera (onde o elemento se encontra na forma de CO2) para ser armazenado em outros "reservatórios", como as árvores. Pela fotossíntese, as árvores absorvem CO2 da atmosfera, ficando com o carbono (C) aprisionado em seus tecidos vegetais até sua morte natural ou corte seguindo de queimada. Outra forma de sequestrar carbono é capturá-lo por meio de ações físicas e químicas nos pontos de produção ou transformação de energia e armazená-lo em poços de petróleo e gás ou nas profundezas dos oceanos - uma técnica ainda em desenvolvimento e bastante cara.

Sistemas agroflorestais (SAFs)

As agroflorestas são sistemas de uso e ocupação do solo, onde árvores são manejadas junto com plantas herbáceas, arbustivas, culturas agrícolas. Podem incluir a criação de animais no caso dos sistemas silvipastoris (SSP).